Sempre Simples

"A simplicidade é o último grau de sofisticação." Leonardo da Vinci.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

As pessoas vão, as coisas ficam

E já se vão dois Natais sem meu irmão. Nunca estamos preparados para passar por isto, e nem para superar a falta que faz uma pessoa em nossas vidas. Não sei outra maneira de lidar sentimentalmente com a morte, do que "fingir" que nada aconteceu.


As pessoas vão, as coisas ficam. Ganhei de presente do meu irmão algumas coisinhas, as quais, hoje , são lembranças. Coisinhas tão simples, mas, quer ver como tem um significado importante?

As baixelas, decoradas de vidro, eram três, uma se quebrou para nos lembrar a fragilidade da vida. Esses "pratos" são, também, para ensinar que devemos sempre servir com amor e carinho. Que o alimento foi criado por Deus, para que ninguém dos seus filhos passe fome e que a Ele agradeçam pela saciedade. Que não importa o quão requintado é o prato, mas sim a forma como é oferecido. 


O galheteiro de porcelana ensina-nos que a vida precisa de temperos especiais como: o amor, o carinho, a atenção e o agradecimento. Se, de fato, usássemos esses temperos na vida, não existiria tanto sofrimento no mundo. Um fio de azeite representa o amor que impregna a alma humana; uma pitada de sal faz lembrar, que a vida só tem sabor quando torneada de carinho; o vinagre identifica a atenção, que quanto mais dada, mais é percebida; a pimenta mostra-nos que o agradecimento é a forma mais pura de aquecermos o coração do outro.

O porta alho diz que os detalhes, na vida, fazem toda a diferença... Um elogio, um agrado, uma gentileza, uma ajuda, um conselho, são detalhes que "enfeitam" a vida das pessoas e criam uma atmosfera decorada de simpatia, que contagia.


Os talheres de servir estão para mostrar que na vida, necessitamos de algumas ferramentas de trabalho: a sabedoria, a ética e a prudência. A concha maior é a sabedoria, porque esta temos que ter em abundância; a concha menor a ética, porque concede moderação; a escumadeira é a prudência que filtra as relações humanas retendo o que é consistente; o que for banal, deixar pra lá...

E por fim a caixinha de música. Ah, a caixinha de música... Quantas coisas pode representar uma peça como esta! Sensibilidade, criatividade, sonho. Sonhar com um mundo melhor, usando a criatividade para sensibilizar as pessoas. A música toca a alma e o coração da gente. E como a bailarina, precisamos nos equilibrar o tempo todo.

Atribuir significado aos presentes que ganhei do meu irmão é uma forma, menos dolorosa, que encontrei de passar por esta data, já que a todo momento eu utilizo esses objetos. Claro que não precisaria de ter ganhado nada para me lembrar dele. Mas presentes é uma das linguagens do amor,  segundo o escritor Gary Chapman, autor de "As Cinco Linguagens do Amor".

Só nos resta, acreditar na imortalidade da alma, pois as lembranças são vivas em nosso coração.

video

5 comentários:

  1. Ahhh lembranças...lembranças...nem me fale nisso,hoje acordei e recebí a notícia da morte do meu querido Doutor Alfredo Halpern...
    Bela postagem,chorei ao lê-la.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É amiga, a única certeza que temos é que um dia todos se vão. Hoje, faz um ano que nosso amigo se foi naquele acidente trágico, lembra? Deixou esposa e filha ainda bebê. Mas temos em Deus a força para continuar acreditando que um dia nos encontraremos novamente. Beijos!!

      Excluir
    2. Amém,essa é a minha esperança...

      Excluir
  2. Linda reflexão! Também atribuo significados aos presentes que ganho, não com tanta sabedoria, mas atribuir significados é uma forma de retribuir o carinho à quem presenteou.
    Parabéns pela postagem!
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jojô, que bom receber seu comentário! Muito obrigada por se manifestar, isso é muito importante para mim. E obrigada também pelas palavras que aqueceram meu coração! Muito obrigada mesmo! Beijo.

      Excluir

Deixe aqui seu comentário, será um prazer recebê-lo.